Tudo sobre o EEAT do Google - Como utilizar a 'Experiência' para cativar


As regras do jogo de SEO estão sempre a mudar e é o Google quem as dita. Uma das mais recentes - o EEAT - baseia-se na criação e partilha de conteúdo que inclua experiências reais. Saiba mais sobre o EEAT.

O mundo do SEO é dinâmico e, para navegar com sucesso, é importante compreender conceitos fundamentais como EEAT (Experience, Expertise, Authoritativeness e Trustworthiness). Apesar de não ser um fator direto de classificação do Google, como o próprio salienta na sua Central de Pesquisa, desempenha um papel vital na determinação da qualidade e confiança de um site.

É por isso que, neste artigo, iremos explorar o significado desta sigla, como é que as marcas podem aproveitar essa mudança para gerar interesse e como melhorar o EEAT para otimizar o seu desempenho nos resultados de pesquisa.

O que é EEAT (Experiência, Especialidade, Autoridade e Confiabilidade)?

A EEAT, ou Experiência, Especialidade, Autoridade e Confiabilidade, em português, integra as Diretrizes de Qualidade de Pesquisa do Google. O objetivo desta abordagem é garantir que os utilizadores recebem conteúdo confiável e uma experiência positiva quando fazem uma pesquisa.

À semelhança das várias diretrizes do Google, esta também evoluiu ao longo dos anos, passando de EAT para EEAT ou incorporar o "E" relativo a experiência, em dezembro de 2022.

Mas, a que se refere cada uma destas vertentes?

  • Experiência: a introdução da componente experiência demonstra que o Google passou a dar prioridade às páginas desenvolvidas por especialistas nos assuntos, que tenham vivenciado e testado os insights que estão a passar, comprovando que são autênticos.

  • Especialidade: é avaliado se os autores dos conteúdos são especialistas, possuindo conhecimento e credenciais necessárias para fornecer informações confiáveis. Apesar da experiência se cruzar com a especialidade, não são a mesma coisa.

A especialidade pode ser demonstrada através da inclusão de informações relevantes sobre o criador do conteúdo, que destaque as suas qualificações. 

  • Autoridade: é analisada a autoridade do autor, do conteúdo e do site. A autoridade pode ser demonstrada através da construção de perfil digital ou marca pessoal forte, que o posicione como especialista numa área específica, colaboração com outros especialistas, menções ou citações, e backlinks de sites relevantes, vistos como autoridades. 

A autoridade é mais facilmente alcançada através de uma sólida estratégia de conteúdo, que assegure que responde a todas as dores do seu potencial cliente. Quanto mais conteúdo de alta qualidade for indexado com sucesso pelo Google, mais autoridade terá o site.

  • Confiabilidade: este ponto inclui a transparência de informações, como o autor, a citação de fontes confiáveis e uma experiência de compra e navegação segura para o utilizador.

O acréscimo do elemento experiência (o primeiro desta lista) é particularmente relevante face ao conteúdo gerado por Inteligência Artificial (IA), uma vez que uma ferramenta de IA não consegue apresentar experiências verdadeiras, mas apenas fazer suposições sobre experiências humanas.

Por isso, o conteúdo que a IA gera nunca será verdadeiramente único. A experiência torna-se, assim, o elemento fundamental para fazer a distinção entre o conteúdo escrito por humanos e o que é produzido por IA.

Características de páginas com alta qualidade e bem posicionadas no Google

As páginas com bom posicionamento nos resultados de pesquisa do Google e, consequentemente, com alto nível de EEAT, apresentam as seguintes especificidades:

  1. Conteúdo de alta qualidade

    1. Textos informativos, precisos e bem fundamentados.

    2. Conteúdo original que agrega valor aos utilizadores.

    3. Atualizações regulares para manter a relevância.

  2. Experiência demonstrada

    1. Os autores evidenciam experiência prática no assunto abordado.

    2. Insights e vivências reais.

    3. Inclusão de exemplos práticos e casos de estudo.

  3. Especialização confirmada

    1. Indicação clara das qualificações dos autores.

    2. Abordagem profunda e abrangente de temas específicos.

    3. Uso de indicadores de especialização, como certificações e experiência profissional.

  4. Autoridade reconhecida

    1. Reputação positiva do autor, evidenciada por menções em outros sites.

    2. Links de fontes confiáveis.

    3. Participação em atividades que reforcem a sua autoridade, como guest posts.

  5. Confiabilidade reforçada

    1. Informações claras sobre a fonte e autoria do conteúdo.

    2. A não adoção de práticas enganosas, como clickbait ou disseminação de informações falsas.

    3. Conteúdo acessível, sem barreiras que prejudiquem a confiança do utilizador.

  1. Estrutura clara do conteúdo

    1. Abordagem abrangente de todos tópicos relevantes associados a um tema.

    2. Navegação simples e intuitiva.

    3. Divisão em tópicos e subtópicos, de forma a facilitar a leitura.

  1. Feedback positivo dos utilizadores

    1. Avaliações positivas e comentários construtivos.

    2. Partilha frequente dos conteúdos nas redes sociais.

    3. Baixa taxa de rejeição e alta taxa de retenção.

  1. Transparência nas informações

    1. Divulgação clara da autoria e afiliações.

    2. Citação de fontes e referências, quando apropriado.

    3. Disponibilização de informações de contacto para mais esclarecimentos.

Características de páginas com baixa qualidade de SEO

Pelo contrário, as páginas com baixo nível de EEAT, apresentam as seguintes particularidades:

1. Conteúdo desatualizado ou irrelevante

  • Informações desatualizadas que não refletem as tendências atuais.

  • Conteúdo irrelevante ou sem valor para os visitantes.

2. Falta de transparência

  • Falta de informações sobre a autoria ou fontes do conteúdo.

  • Tentativa de ocultar a identidade ou afiliações.

3. Ausência de especialização clara

  • Autores sem qualificações evidentes no assunto.

  • Conteúdo superficial que não aborda detalhes específicos.

4. Feedback negativo dos utilizadores

  • Avaliações e comentários desfavoráveis frequentes.

  • Partilha muito escassa ou inexistente nas redes sociais.

5. Práticas enganosas

  • Uso de clickbait para atrair cliques sem entregar valor.

  • Informações enganosas ou promocionais sem base sólida.

6. Links de baixa qualidade

  • Backlinks de sites pouco confiáveis ou spam.

  • Ausência de links de fontes relevantes e com autoridade reconhecida.

7. Estrutura de conteúdo confusa

  • Páginas mal estruturadas, que dificultam a leitura e a navegação.

  • Falta de organização lógica da arquitetura de conteúdo.

8. Conflitos de interesse

  • Promoção excessiva de produtos ou falta de transparência sobre os serviços apresentados.

  • Afiliações não declaradas que comprometam a imparcialidade.

9. Não respeitar práticas de segurança

  • Falta de certificados de segurança em páginas sensíveis.

  • Páginas com conteúdo inseguro ou práticas de privacidade duvidosas.

SEO: O que é YMYL e por que é importante quando se trata de EEAT?

YMYL significa Your Money or Your Life (o seu dinheiro ou a sua vida).  No entanto, o M da sigla não diz respeito apenas a dinheiro. Abrange qualquer coisa que afete a saúde, o bem-estar, a segurança ou a estabilidade financeira de uma pessoa, grupo de pessoas ou sociedade.

Geralmente, são setores fáceis de identificar:

  • Seguros

  • Cartões de crédito

  • Banca

  • Aconselhamento médico

  • Direito

  • Planeamento de reforma

  • Empréstimos

  • Investimentos

  • Notícias sobre tópicos importantes como política ou negócios

  • Serviços sociais

  • Comércio eletrónico

O Google guia-se de duas maneiras para determinar se algo pode afetar a saúde, bem-estar, segurança ou estabilidade financeira de alguém:

  • O próprio tópico é prejudicial ou perigoso. Por exemplo, há um dano claro e imediato diretamente associado a tópicos relacionados com autolesão, atos criminosos ou extremismo violento.

  • O tópico pode causar danos se o conteúdo não for preciso e confiável. Por exemplo, imprecisões ou conteúdo provenientes de fontes menos confiáveis e que podem impactar significativamente a saúde física, mental e financeira ou a segurança de alguém, ou impactar a sociedade. Abrange tópicos como sintomas de um ataque cardíaco, como investir dinheiro, o que fazer em caso de terramoto , quem pode votar ou qualificações necessárias para obter a carta de condução.


A razão pela qual as diretrizes do Google são tão importantes no YMYL e por que o Google tende a ser muito mais rigoroso e a impor novas regulamentações, é o facto de estes sites YMYL, pela sua natureza, afetarem profundamente áreas importantes da vida das pessoas. É, portanto, essencial que os sites que o Google fornece em resposta a consultas YMYL sejam confiáveis, especializados e de alta autoridade.

É aí que entra o EEAT. Um assunto confiável é um assunto alinhado com o conceito

SEO: Como melhorar o EEAT?

Em primeiro lugar, certifique-se de que o seu site funciona como deveria e de maneira segura. No nível mais básico, é necessário ter um certificado SSL, de forma a que o URL do seu site comece com HTTPS (protocolo seguro) em vez de HTTP

Num nível mais avançado, trata-se de garantir que o seu site está hospedado em servidores protegidos e que oferece uma experiência segura para os utilizadores (especialmente quando se trata de pagamentos).

Depois, é crucial assegurar-se que tanto o site como os conteúdos são facilmente acedidos em diferentes dispositivos e de acordo com as diferentes necessidades. Considere isso como os fundamentos técnicos de usabilidade do site.

Apresente conteúdo relevante e de qualidade. Isso não significa que precisa criar muitos conteúdos novos incessantemente, mas sim auditar o conteúdo existente amiúde, para garantir que está atualizado e que dá resposta às dores da sua audiência. E se isso significar reduzir a complexidade do conteúdo, faça-o. Lembre-se, as pessoas leem conteúdo online de maneira bem diferente do que leem um livro ou um relatório, por isso, simplifique e destaque os pontos mais importantes.

Todavia, note que, simplificar não é torná-lo superficial. Como especialista na sua área, deverá ser capaz de abordar os tópicos de uma maneira fácil de entender. 

As páginas também são consideradas de baixa qualidade se forem criadas sem tempo, esforço, expertise, talento ou habilidade adequados. Ou ainda se apresentarem uma quantidade pequena de conteúdo para o propósito da página.

Os links que apontam para o seu site (backlinks) são um fator-chave na forma como o Google perceciona a autoridade do seu. Por esse motivo, é importante manter um perfil composto por sites de qualidade com relevância e autoridade no seu nicho ou invés de enveredar pela compra ou trocas de links.

SEO: Como incorporar o EEAT na estratégia de uma marca 

A inclusão da componente Experiência (E) nas Diretrizes de Qualidade de Pesquisa do Google destaca a importância de demonstrar não apenas conhecimento teórico, mas também experiência prática. Para as marcas, esta mudança oferece uma oportunidade única de se destacarem, uma vez que agora são incentivadas a apresentar não apenas informações, mas também vivências reais nos respetivos campos de atuação.

O truque passa pelas marcas integrarem a experiência dos seus especialistas na estratégia de conteúdo. E isso implica destacar os profissionais, os seus conhecimentos especializados, histórias, casos de estudo e exemplos concretos, criando assim uma ligação autêntica com o público.

Além disso, as marcas podem explorar formatos de conteúdo que permitam uma transmissão mais eficaz da experiência, como vídeos explicativos, testemunhos de clientes reais e artigos com as lições aprendidas.

Integrar a dimensão da experiência não responde apenas às diretrizes do Google, mas também estabelece uma relação de confiança com o público, pois demonstra que as informações apresentadas são fundamentadas em vivências reais e não apenas em teorias. Esta é, de facto, uma oportunidade estratégica para as marcas elevarem a qualidade e autenticidade do seu conteúdo online.


Outra abordagem estratégica é o uso de um programa de faturação como o InvoiceXpress, que simplifica o processo de faturação de forma notável.

Com uma interface intuitiva e funcionalidades de automatização, facilita a criação de faturas, a gestão eficiente de documentos e a execução de tarefas recorrentes, como lembretes de pagamento. Além disso, prioriza a segurança dos dados e a conformidade legal, assegurando que as informações financeiras estão protegidas e que cumprem as regulamentações.

Ao integrar o InvoiceXpress na sua abordagem, as empresas não só ganham eficiência operacional, como também reforçam o profissionalismo e a transparência nas suas práticas financeiras. Se ainda não conhece o nosso software de faturação, experimente-o já hoje durante 30 dias grátis!


Magda Santos

Profissional de Marketing Digital com foco em SEO, apaixonada por viagens, escrita, livros e fotografia. Navega pelo universo digital, enquanto explora diferentes lugares do mundo. O melhor capítulo da sua jornada de vida é o que se vai desenrolando ao lado da filha.

blog comments powered by Disqus




Fale connosco!

Somos uma equipa dedicada a responder a todas as suas questões de forma rápida e eficaz.

Acreditamos que o suporte é a nossa melhor funcionalidade.

Ponha-nos à prova!