Os livros e cursos que mais me influenciaram enquanto empreendedor


No dia 29 de Janeiro de 2015 fez 8 anos desde que fundei a RUPEAL. Sinto-me orgulhoso do percurso realizado e gostava de contribuir mais para quem se inicia neste caminho do empreendedorismo. Uma das perguntas que me fazem frequentemente diz respeito aos livros e cursos que influenciaram o meu percurso. Este artigo responde a isso.

Livros e Cursos inspiradores

Um ponto que considero fundamental, é que acredito piamente que o crescimento de um negócio está directamente relacionado com a psicologia do seu líder. Acredito nisto porque o experienciei em primeira mão na RUPEAL. Quanto mais aprofundava conhecimentos e fazia distinções sobre o meu comportamento, sobre o que me motivava, sobre como “pôr-me a mexer”, mais melhorava o desempenho da empresa. Portanto, a minha fome por desenvolvimento pessoal vem daí. Eu sei que se melhorar a mim próprio, vou melhorar tudo à minha volta.

É por isso que na listagem de livros e cursos que aqui vou falar, estão livros e cursos que aparentemente nada têm a ver com negócios. Mas por terem sido uma influência tão grande na minha forma de pensar e ser, acabaram por influenciar directamente os negócios que lidero.

Quais os cursos que frequentei que mais me influenciaram?

Este tópico é sensível. Eu comecei a fazer cursos de desenvolvimento pessoal aos 19 anos, no 2.º ano em que vim morar para Lisboa. Na altura, o meu primeiro contacto com o mundo de desenvolvimento pessoal foi através de um livro chamado Goste de si. Trata-se do primeiro livro do Luís Martins Simões e, na altura, fez-me imenso sentido. Hoje ainda faz, daí estar na lista.

Gostei tanto do livro que na altura troquei emails com o autor. Coincidência ou não, o meu grupo de amigos da altura andava todo entusiasmado com um curso onde “se andava sobre brasas”! O curso chamava-se Pensar / Intuir e era ministrado na altura pelo Luís e Pedro Martins Simões. Depois de realizar este curso, com 19 anos, o meu mundo mudou completamente. Passei a devorar livros de desenvolvimento pessoal, assim como de todas as temáticas que de alguma forma me pudessem influenciar e desafiar paradigmas, e melhorassem a minha vida.

Já frequentei dezenas de cursos. Alguns repeti várias vezes. O critério que escolhi para entrar nesta lista foi o de já ter repetido ou ter vontade de repetir. Se repeti ou tenho vontade de repetir, é porque o curso teve um grande impacto em mim. Já fiz pelo menos uma vez todos os cursos que aqui menciono.

Porque faço várias vezes o mesmo curso?

Porque a repetição é a mãe da mestria. Por exemplo, já fiz o curso Atitude Comercial com o Luís Martins Simões cerca de quatro vezes. E aprendi coisas diferentes de todas as vezes que frequentei? Sem dúvida! Isso tornou-me mais experiente na matéria? Claro que sim! Voltaria a fazê-lo? Talvez. Dependeria do meu estado de espírito (mas só porque já fiz quatro vezes!)

Se tivesse de escrever uma lista dos cursos que frequentei e que mais me influenciaram seria:

Estão aqui vários milhares de euros investidos em cursos. A razão pela qual invisto fortemente na minha formação (e na dos meus colaboradores) é porque acredito que a nossa educação é um processo contínuo. A minha capacidade de gerar valor para mim, para os que me rodeiam, e de contribuir para o mundo, depende das minhas competências. Não há um ano em que não invista em formação.

Naturalmente não fiz tudo no mesmo ano, e houve anos onde “desacelerei”, seja por motivos financeiros, ou porque estava mais focado noutras áreas. No entanto, todos os anos procuro fazer algo que melhore as minhas competências.

Qual a minha formação académica?

Eu sou formado em Engenharia Informática pelo ISEL - Instituto Superior de Engenharia de Lisboa. Tive a benção de ter professores fantásticos do CCISEL - Centro de Cálculo do ISEL (e não só) e de ter tido uma formação de engenharia que considero ser bastante rica. O curso no ISEL deu-me os alicerces técnicos para poder perceber bem quais os problemas e limitações do mundo da engenharia de software.

Também fiz uma pós-graduação em Gestão na Universidade Nova de Lisboa. Não recomendo. Acho que o investimento é alto para o retorno que se tem, além de ser muito abaixo relativamente a qualquer um destes cursos que aqui menciono.

A vida académica não me influenciou praticamente em nada enquanto gestor/líder. Aprendi mais num Business Mastery ou no 4 Day MBA, do que em 6 meses da Nova. Como disse um conhecido professor do Curso Geral de Gestão, “o melhor da pós-graduação são as refeições”.

Mas o que também é verdade, é que nem todas as pessoas vão gostar deste tipo de formações que faço com tanta frequência. Por exemplo, quem vê os vídeos de um seminário do Tony Robbins acha que se trata de um culto ou de uma seita! Asseguro-vos de que existe um método na sua loucura, e que é extremamente eficaz para quem se entrega de corpo e alma ao processo. Mas não é para todos, reforço. Pessoas que são muito inteligentes mas imaturas do ponto de vista emocional, geralmente não gostam porque não se conseguem entregar ao processo. Não se conseguem abstrair do meio e estão mais preocupadas com as “figuras” que possam estar a fazer.

Quais os 10 livros que mais me influenciaram?

Iniciei-me no caminho do desenvolvimento pessoal aos 19 anos. A consequência foi tornar-me num leitor voraz de livros que pudessem trazer alguma distinção sobre como melhorar ou crescer nalguma área em particular.

Se tivesse de citar 10 livros que me influenciaram, sem nenhuma ordem de preferência ou prioridade, escolheria os seguintes:

Mas isto é imensa coisa! Se tivesse de escolher apenas 3 livros e 3 cursos, quais é que recomendaria e porquê?

Estes são os que mais impacto tiverem:

  • Os 7 Habitos das Pessoas Altamente Eficazes
  • Maverick
  • Good to Great

O 7 Hábitos das pessoas altamente eficazes é focado em princípios basilares do carácter de um bom “top performer”. O livro fornece-nos um mapa que nos guia e foca. Posso dizer que recorro frequentemente ao livro para revisitar os 7 hábitos. Quando dominados, qualquer um tem um impacto gigante numa pessoa.

Tanto o Maverick como o Good to Great foram-me recomendados pelo meu amigo Tiago Andrade e Silva, da Microsoft, em momentos diferentes. Hoje em dia, leio qualquer coisa que o Tiago me recomende!

O Maverick está na lista porque foi o primeiro livro que me mostrou o impacto que a cultura de uma organização pode ter no seu crescimento. Ricardo Semler, o autor, conseguiu ao longo das últimas décadas criar uma empresa que é para mim a primeira empresa do século XXI. O Maverick é uma das minhas maiores influências e sei que empresas como a 37 Signals seguem muitos dos seus princípios. Quem também gosta do tema “Holocracy” vai perceber que é deste livro que vêem muitos dos seus conceitos base.

Já o Good to Great influenciou-me de forma diferente. Jim Collins, na sua pesquisa, encontrou uma série de denominadores comuns às empresas que perduraram ao longo de décadas como líderes nas suas áreas. Este livro ajuda a focar-nos no que é preciso para passar o negócio para o próximo nível.

Dos cursos, escolhia os seguintes como meus favoritos:

  • Atitude Comercial, com Luís Martins Simões
  • 4 Day MBA, do Keith Cunningham
  • Business Mastery, do Tony Robbins

Atitude Comercial, com Luís Martins Simões

O Atitude Comercial é sem dúvida o curso que recomendo a qualquer empreendedor, esteja ele em que nível estiver. O curso dá-nos ferramentas que vão muito para além da venda, são ferramentas de comunicação que são úteis em qualquer contexto de comunicação inter-pessoal. O Luís tem um método de ensino envolvente, prático e super divertido! Os exercícios são impactantes ao ponto de nunca mais nos esquecermos de muito deles - Fuschia será certamente uma cor que dificilmente vou esquecer!

Se ainda não fizeram este curso com o Luís, não sabem o que estão a perder! Praticamente todas as grandes empresas que conheço em Portugal passaram pelas mãos do Luís e nota-se que comunicar com elas, quando se dominam as ferramentas do curso, se torna extremamente agradável e eficaz.

4 Day MBA, do Keith Cunningham

Embora não esteja no Top 3 dos meus livros favoritos, a verdade é que o Pai Rico, Pai Pobre, de Robert Kyosaki, foi um dos livros que me inspirou a criar a RUPEAL. Para quem conhece o livro, o Keith Cunningham é o Pai Rico no qual o Robert se inspirou.

Conheci o Keith enquanto orador sobre Finanças no curso Business Mastery. O Keith é um orador de classe mundial! Ele tem o dom de conseguir explicar finanças como nunca vi na vida. No espaço de 4 horas, posso garantir-vos que aprendi mais sobre contabilidade do que em qualquer outra formação para não financeiros que tenha frequentado.

O 4 Day MBA é o curso do Keith totalmente focado em como fazer crescer uma empresa. O Keith dá-nos todas as ferramentas de contabilidade para conseguirmos ter métricas, diz-nos para onde devemos olhar e o que devemos monitorizar. Explica-nos o porquê destas alavancas no negócio e depois faz algo mágico: Junta toda a parte de cultura, de pessoas e de liderança. Consegue colar a parte financeira com a parte de liderança! O Keith é um Mestre na arte de fazer negócios e um orador de classe mundial.

Business Mastery, do Tony Robbins

O Business Mastery, por ser com o Tony Robbins, é especial. O Tony é dos melhores, senão o melhor orador que já vi ao vivo. Este curso é focado em princípios, ferramentas e estratégias que fazem um negócio crescer e prosperar. Durante o curso vão outros oradores falar da sua área de “expertise” (como o Keith) e é um curso que fornece muito material para se aplicar num negócio. Se aplicarmos apenas 1/10 do que se aprende lá, o negócio vai certamente florescer.

De um empreendedor para outro - Notas finais

Todas estas formações tiveram impacto na minha forma de ser e de estar. Como consequência, as interacções com as minhas equipas, com clientes, fornecedores e todos os intervenientes, alteraram-se de alguma forma.

Algumas formações tiveram tanto impacto que foi fácil medirmos. Por exemplo, o Business Mastery que fiz em 2011, no caso da RUPEAL, teve um impacto de mais 2 milhões de euros em receitas. Sei disto porque implementámos uma serie de mudanças que aprendemos. Quando lá fui, facturávamos pouco mais de 1M€, hoje estamos nos 3M€.

Todas estas formações deram-nos também uma perspectiva clara de como chegar pelo menos aos 10M€. O contacto com estes conteúdos deu-me um mapa, uma visão de como fazer crescer o negócio e prosperar.

O rendimento das minhas equipas, depois de terem contacto com estas formações, também sofreu um alto impacto. A minha interacção com estas pessoas, e delas para comigo e os seus colegas, muda sempre que desenvolvemos este tipo de iniciativas e novas competências.

Naturalmente não sabemos tudo, nem pretendemos saber. É por isso que, todos os anos, continuo a apostar em formação. Para mim e para os que me rodeiam. Procuro sempre aquela distinção que, se aplicada correctamente, pode trazer resultados desproporcionais.

Se levar alguma coisa deste artigo, que seja a conversa seguinte que, a dado momento, nós empreendedores, temos. Nem que seja connosco próprios:

O Director Financeiro pergunta ao Director Geral: Vamos gastar este dinheiro todo em formação? E se as pessoas saírem da empresa? O Director Geral responde: E se não investirmos na formação delas e elas ficarem?


Rui Alves

Fundador do InvoiceXpress, é estratega a full-time e procura sempre ser mais líder do que chefe. Quando não está a viajar pelo mundo, não consegue largar o seu Algarve.

blog comments powered by Disqus




Fale connosco!

Somos uma equipa dedicada a responder a todas as suas questões de forma rápida e eficaz.

Acreditamos que o suporte é a nossa melhor funcionalidade.

Ponha-nos à prova!
Livro de Reclamação