7 estratégias para preparar o seu negócio para a subida da inflação


Os últimos anos não têm sido nada fáceis para muitos negócios. Alguns ainda nem ultrapassaram a perda de receitas devido às restrições impostas pela pandemia e já se veem confrontados com um novo problema: a subida da inflação. Neste artigo, partilhamos 7 estratégias que pode aplicar no seu negócio que o ajudarão a minimizar o seu impacto.

A subida da inflação tem sido um tema recorrente e uma grande fonte de preocupação no ano que corre.

Esta subida faz com que os custos de produção de alguns negócios aumentem, reduzindo assim a sua margem de lucro, ou então, veem-se confrontados com a necessidade de aumentar preços. O que pode fazer com que percam clientes.

Mesmo com uma aparente recuperação económica, o aumento de preços, escassez de oferta de matéria-prima e salários mais altos, causados pela escassez de mão de obra, fazem com que o cenário atual não seja o mais favorável para os empreendedores.

Neste artigo, partilhamos consigo algumas estratégias que o podem ajudar a combater os efeitos da inflação, permitindo-lhe manter um negócio sustentável apesar das atuais adversidades.

7 Estratégias para preparar o seu negócio para a subida da inflação

1. Reduzir custos para aumentar a margem de lucro

Nem todos os preços aumentam na mesma proporção e, quando as condições económicas mudam rapidamente, a subida de preços também varia muito. Assim, com diferentes taxas de inflação para diferentes matérias-primas, os negócios têm a oportunidade de considerar a substituição de um material por outro equivalente, ou cujas propriedades permitam obter o mesmo resultado final, e a um preço inferior.

Repense as relações que tem com os seus fornecedores e procure assinar contratos com um preço fixo a longo prazo com quem forneça produtos de boa qualidade. Isto faz com que os seus custos não variem tanto enquanto esses contratos estiverem em vigor.

Estas são algumas formas de os empreendedores conseguirem reduzir os seus custos, aumentando as suas margens de lucro. Assim, evitam imputar os custos da inflação aos seus consumidores.

2. Rever oferta de produtos

Outra maneira de conter custos é simplificando as suas cadeias de produção. Uma das formas de o fazer é reduzindo a lista de produtos que oferece. Em vez de ter vários produtos que sirvam vários nichos diferentes, procure focar a sua produção em produtos com maior procura e maior margem de lucro.

Considere a relevância e lucratividade de cada produto no seu portfólio. Elimine ou ponha em pausa a oferta de produtos que não estão a contribuir tanto para os seus lucros. Esta redução pode parecer contraproducente quando o objetivo é o crescimento da empresa, mas pode ser muito benéfica em períodos de elevada inflação.

Se não quiser eliminar ou parar temporariamente a oferta de certos produtos, outra opção será a de dar prioridade aos produtos com maior margem de lucro. Dando prioridade aos produtos com maior margem de lucro, a entrega  ao consumidor final será, portanto, mais rápida. Desta forma, terá argumentos para sugerir aos seus clientes que optem pelos produtos cuja entrega é mais rápida, aumentando a venda daqueles que têm melhores margens de lucro.

3. Delinear uma estratégia de preços

Uma das razões apontadas para a elevada taxa de inflação é o súbito aumento da procura devido ao final das restrições impostas para controlo da pandemia. Por isso, se notou também este aumento da procura pelos seus produtos, poderá imputar o aumento do custo da sua matéria-prima aos seus consumidores para manter a sua margem de lucro.

Se, por outro lado, não notou uma diferença na procura e os seus consumidores são muito sensíveis à variação de preços, há outras estratégias que pode adotar para diminuir a perceção do impacto deste aumento, tais como:

  • Criação de pacotes onde agrupa produtos complementares para que o cliente sinta que está a obter um maior valor se comprar o pacote;

  • Adicionar ou remover funções ou características do produto em questão para poder reduzir o custo de produção ou aumentar o valor percebido pelo cliente.

No entanto, baseie as suas decisões na estratégia que a empresa tem a longo prazo para que, quaisquer ganhos obtidos através do aumento de preços não resultem em perdas de quota de mercado no futuro.

4. Repensar a relação com os seus clientes

Se tiver contratos com os seus clientes, reveja-os de forma a que tenha a possibilidade de ajustar os preços de acordo com o aumento dos seus custos ou de aumentar os preços com o mínimo de tempo de antecedência.

Se tiver de aumentar os preços aos seus clientes, garanta que lhes continua a dar razões suficientes para que continuem a querer trabalhar consigo e que não procurem outras opções para o substituir.

Para isso, é imprescindível que o seu apoio ao cliente seja impecável, já que esta é uma mais-valia com baixo custo, que o ajudará a destacar-se no mercado. Para além de apostar no apoio ao cliente, considere também criar promoções e ofertas que beneficiem os seus clientes sem aumentar os seus custos de produção.

5. Maior controlo na gestão de stock e no fluxo de caixa

Para negócios de venda de produtos, uma estratégia popular em tempos de elevada inflação é o aumento da quantidade de matéria prima ou produtos armazenados. Isto garante que tem stock suficiente para responder aos pedidos dos clientes.

Ao armazenar mais matéria a um preço mais baixo, garante que os seus custos de produção se mantêm, mesmo com o aumento da inflação. Assim, poderá também ser mais estratégico na altura de comprar matéria-prima, tentando aproveitar os momentos de menor inflação.

Aumentar o investimento de capital no armazenamento de stock também faz com que não tenha tanto capital parado a desvalorizar, e garante a disponibilidade dos materiais a curto prazo

Tudo isto permite-lhe ter um maior controlo no fluxo de caixa já que, não só consegue ter maior controlo sobre os seus gastos com matéria-prima, como também permite um aumento mais progressivo dos seus preços para o consumidor final. Assim, tornar-se-á mais competitivo em relação ao restante mercado, sem perder necessariamente a sua margem de lucro.

6. Reavaliar os seus recursos humanos

Para além da elevada inflação, outro desafio que as empresas enfrentam atualmente é a falta de mão de obra, que também leva a um aumento dos salários para captação de talento. Isto faz com que se torne ainda mais pertinente a reavaliação dos recursos humanos dos negócios.

Devido a esta falta de mão de obra generalizada, uma das melhores estratégias a aplicar será a eliminação da necessidade dessa mesma força de trabalho. Esta eliminação de trabalho pode dever-se ao segundo ponto deste artigo, onde abordámos a redução da oferta de produtos.

Depois de eliminar o trabalho, o passo seguinte passa por encontrar alternativas que permitam automatizar os processos com recurso à tecnologia, substituindo a força laboral humana. Esta automação também pode trazer estabilidade à produção, um maior controlo sobre as variáveis que afectam os custos de produção e faz com que seja mais fácil identificar perdas que ocorram ao longo do processo, para que seja possível aumentar a sua eficiência, reduzindo esses mesmos custos de produção.

7. Renegociar créditos e diversificar investimentos

Fale com o seu banco para tentar renegociar qualquer financiamento que tenha. Se tiver algum crédito com taxa variável, converta-o agora para taxa fixa enquanto o Banco Central Europeu ainda não aumentou as taxas de juro, algo que estará para breve.

Se tiver vários créditos em diferentes bancos, estude a hipótese de consolidar todos num só. Poderá conseguir uma taxa de juro mais baixa, reduzindo o custo total que terá a pagar aos bancos.

Para além de poupar dinheiro com os seus créditos, também é importante proteger o seu dinheiro da inflação. Isto porque a inflação faz com que qualquer dinheiro que tenha parado vá desvalorizando com o tempo e, quanto mais alta for a inflação, mais depressa o seu dinheiro irá desvalorizar.

Uma forma de proteger o dinheiro que tem parado atualmente será aplicando-o em produtos financeiros e diversificando os seus investimentos. Assim, o valor do seu dinheiro irá acompanhar a subida dos preços do mercado. Para fazer isto, procure a ajuda de um consultor financeiro para o aconselhar sobre quais são os melhores tipos de investimento para si, de acordo com o seu perfil de investidor.


Alturas de elevada inflação são, por si só, tempos desafiantes para os negócios. É em alturas como estas que a adaptabilidade dos empreendedores é posta à prova.

Antes de mais, para conseguir encontrar soluções rápidas e adequadas é imprescindível que comece por compreender o que está por detrás da situação atual. Isto também irá ajudar a perceber quais são os cenários futuros mais prováveis. Assim poderá reagir com mais clareza e tendo um plano a longo prazo em mente.

Ter um plano a longo prazo delineado permite-lhe fazer os ajustes e aplicar as estratégias necessárias para uma resposta rápida às mudanças no mercado, sem comprometer a viabilidade do negócio no futuro, mantendo a sua sustentabilidade financeira.


Beatriz Abreu Peixoto

A Beatriz ajuda empresas e pequenos negócios através da criação de conteúdo escrito informativo e otimizado para os motores de busca. Quando não está a escrever, adora passar tempo com a sua filha de quatro patas, a Phoebe.

blog comments powered by Disqus




Fale connosco!

Somos uma equipa dedicada a responder a todas as suas questões de forma rápida e eficaz.

Acreditamos que o suporte é a nossa melhor funcionalidade.

Ponha-nos à prova!