Email Marketing: Erros a evitar para que as suas campanhas não vão parar ao spam


O email marketing é essencial para estabelecer e manter uma relação com as leads e com os clientes. Porém, trata-se de uma estratégia complexa e é muito fácil cometer alguns erros ao utilizar a mesma. Descubra aquilo que não deve fazer para evitar que as suas campanhas vão parar à caixa de spam.

O que é o email marketing?

O email consiste numa comunicação direta e direcionada a alguém em específico. Na área do inbound marketing o email pode ser utilizado para partilhar conteúdo e newsletters, para informar sobre o produto/serviço e manter relacionamentos com atuais clientes (pode ser uma forma de acompanhamento pós-venda).

Apesar das diferentes ferramentas de marketing digital que vão surgindo, o email marketing continua a ser bastante utilizado para criar e manter relações com os utilizadores e apresenta uma grande taxa de sucesso. É algo que faz parte do quotidiano dos indivíduos e ao qual eles têm acesso a toda a hora, a partir de qualquer dispositivo ligado à internet.

As redes sociais são uma ótima técnica para chegar até às pessoas e atraí-las, contudo, é através do email que se mantém o relacionamento com os visitantes. As redes sociais têm ainda um caráter mais informal, já o email é associado a um maior compromisso.

Verifica-se também que os indivíduos não acompanham todos os posts publicados nas redes sociais, porém, sentem necessidade de abrir os emails que recebem, uma vez que os mesmos surgem no seguimento da assinatura de algum conteúdo que lhes interessava, logo acreditam que a informação ali contida será do seu interesse.

Elementos a não esquecer e aquilo que não deve fazer: 9 erros a evitar para os seus emails não irem parar à caixa de spam

Para que as suas campanhas de email cumpram o seu objetivo, têm de ser bem implementadas, isto é, os emails não podem ser marcados como spam.

Quando um email é marcado como spam significa que não irá chegar à caixa de entrada do destinatário e, desse modo, não será estabelecido contato com aquele indivíduo.

1. Não criar (e alimentar) uma lista de contactos desde o início

Em primeiro lugar, para enviar os emails é necessário criar uma lista de contactos. Para conquistar os dados e contactos dos visitantes deve criar um lead magnet - será necessário criar materiais, pop-ups, eventos e cursos, promoções e anúncios. Todos estes instrumentos servem para captar a atenção do cliente e são disponibilizados ao mesmo em troca da sua informação.

Os links para criar uma conta ou para subscrever algo (por exemplo uma newsletter) são bastante úteis na obtenção dos dados necessários para estabelecer uma lista de contactos de email.

2. Não utilizar um provider de email fiável e com reputação

Em segundo lugar, o envio dos emails tem resultados mais positivos se for realizado  através de uma plataforma específica para tal, tais como, Mailchimp, Active Campaign, sendinblue ou e-goi.

Estas ferramentas enviam emails de forma automatizada e em grande volume, o que facilita o seu trabalho. Contudo, a principal vantagem consiste no facto de haver menor probabilidade de marcação como spam uma vez que o Outlook, Gmail, etc., reconhecem a autoridade destas plataformas.

3. Não utilizar assuntos e pré-headers que suscitam interesse

Uma boa linha de assunto de email não é eficaz sem um bom pré-header. Um pré-header trata-se daquela frase inicial que se encontra no conteúdo do email, mas que é possível visualizar antes do mesmo ser aberto.

Quando se envia um email ele deve conter um assunto e um pré-header que chame a atenção do indivíduo e desperte o seu interesse de modo a que ele abra o email. Caso isso não aconteça, é provável que o email seja eliminado sem sequer ser lido.

Para além de que a falta de assunto ou um mau assunto, por exemplo, um que esteja repleto de emojis, pode ser considerado spam pelo próprio email e deste modo nem chegar à caixa de entrada.

4. Não segmentar a sua lista de contactos

A lista de contactos é constituída por muitas pessoas com diferentes caraterísticas (idade, género, tipo de produtos consumidos, etc.) que podem e devem ser agrupadas de acordo com as mesmas.

Esta estratégia é útil na hora de enviar o email apropriado para cada pessoa. Pode tratar-se de um email com ofertas para para novos utilizadores, para aqueles que se demonstram interessados num determinado serviço/produto, entre outros.

Se os indivíduos se encontrarem agrupados pelos seus interesses ou características específicas, por exemplo, ser um utilizador que não demonstra interação já há algum tempo, a automação de emails acontece de uma forma mais fácil e o email enviado cumprirá mais facilmente o objetivo pretendido.

Para além do que permite uma maior personalização do email o que faz com que o indivíduo sinta que aquele email é especificamente para si e, por sua vez, relevante, ao invés de spam.

5. Enviar emails com uma proporção desadequada de texto/imagem

O conteúdo dos emails deve ser elaborado de forma cuidadosa. Não deve ser composto exclusivamente por texto, uma vez que não se trata de um formato muito apelativo, salvo algumas exceções, mas sim de algo um pouco maçador e que o destinatário não irá ler. Porém, também não pode ter uma quantidade elevada de imagens ou até mesmo vídeos.

As imagens e vídeos são algo pesado, assim sendo, irão demorar mais tempo a carregar ou poderão mesmo não ser descarregadas quando o email é aberto. Também tem de ser tido em conta que o indivíduo pode estar a aceder ao seu email através do telemóvel ou outro dispositivo em que não consiga visualizar esse tipo de conteúdo.

Também acontecem casos em que a própria plataforma barra o email da caixa de entrada, sendo enviado para o spam, quando este é composto por muitas imagens.

6. Não testar os emails a enviar

Testar o assunto do email, por exemplo, pode fazer toda a diferença na taxa de abertura do mesmo.

Os testes A/B consistem no envio de um email com determinado assunto para uma quantidade de indivíduos da lista de contactos e o envio do mesmo email, mas com um assunto diferente para os restantes contactos.

Após a análise da taxa de abertura de email de cada assunto é possível analisar aquele que tem um melhor desempenho.

Desta forma é possível obter taxas mais elevadas e ao mesmo tempo avaliar o desempenho dos conteúdos preparados, bem como tirar conclusões de possíveis formulações do assunto do email que possam ter uma maior probabilidade de ser marcados como spam.

7. Não enviar emails com regularidade 

Muitas empresas não utilizam o email tantas vezes quanto deveriam. Não devem ser enviados emails ocasionalmente, mas também não se deve entupir a caixa de entrada dos subscritores. Os emails devem ser enviados regularmente. A utilização do email marketing só produz os resultados pretendidos se o mesmo for aplicado regularmente.

Se o envio de emails só acontecer ocasionalmente, a taxa de rejeição irá aumentar. A plataforma de email não estará familiarizada com o seu endereço e isso poderá afetar a taxa de rejeição e o posicionamento na caixa de entrada.  Para além de que, o indivíduo não estará tão envolvido com a sua marca e não lhe atribuiu tanta importância.

8. Não atualizar a lista de contactos

Como já foi falado anteriormente, a lista de contactos é muito importante para a taxa de sucesso dos emails. Contudo, nunca se deve parar de atualizar a mesma. Se algum usuário manifestar que não deseja ser contactado, deve ser retirado da listagem de endereços.

Por vezes acontece que um indivíduo deixa de subscrever a newsletter, por exemplo. Assim sendo, não deve receber mais emails, uma vez que não tem interesse nos mesmos. Deste modo, é imprescindível retirar este indivíduo da lista de contactos.

9. Não devem ser enviados emails não identificados

Todos os emails enviados devem estar devidamente identificados como sendo parte da sua marca/empresa e devidamente assinados.

As plataformas como o Gmail, Outlook, entre outras, rejeitam automaticamente os emails não identificados. Para além de que, se os indivíduos não conseguirem associar o email à sua marca não saberão do que se trata e não reconhecem legitimidade e, portanto, irão sinalizar como spam.


Estes são alguns dos erros mais comuns quando se põe em prática uma estratégia de email marketing. Se não esquecer os elementos aqui apontados conseguirá aplicar campanhas de email marketing bem-sucedidas e como elevadas taxa de ROI.


Inês Justino

A Inês é da área de Sociologia e atualmente trabalha na área da educação para combater as falhas do sistema de ensino. Porém, arranja sempre tempo para dedicar à escrita.

blog comments powered by Disqus




Fale connosco!

Somos uma equipa dedicada a responder a todas as suas questões de forma rápida e eficaz.

Acreditamos que o suporte é a nossa melhor funcionalidade.

Ponha-nos à prova!