Como adaptar o meu negócio para a era pós-Covid


A terceira e última fase de desconfinamento, após a quarentena devido à COVID-19, trouxe uma nova esperança, mas também uma certeza: crise financeira. Prepare-se para adaptar o seu negócio e enfrentar as turbulências de um “novo” normal. Siga os nossos conselhos.


Como adaptar o meu negócio para a era pós-Covid

Novas tendências que vieram para ficar

Junho marcou a terceira fase de desconfinamento e a reabertura de quase todos os sectores da economia. A nível pandémico, o grande foco viral está agora na Área Metropolitana de Lisboa, que de 1 a 14 de Julho será alvo de medidas especiais. Apesar do regresso à actividade, as rápidas mudanças que aconteceram no mercado trouxeram novas tendências. Do trabalho presencial e convencional, com reuniões e contacto pessoal entre colaboradores e com clientes, passámos para o teletrabalho, vídeochamadas e encomendas online. A forma de comprar presencialmente alterou-se e a experiência do consumidor tornou-se menos livre e descontraída.

Rapidamente se percebeu que um negócio que não potenciasse a sua presença digital teria maiores dificuldades em sobreviver. O contacto à distância, recorrendo a várias plataformas online, tornou possível manter as empresas em funcionamento, realizar reuniões, fazer avançar o trabalho colaborativo.

Com a reabertura da terceira fase de desconfinamento, as organizações preocuparam-se em promover um sentimento de segurança junto dos seus clientes, em que as máscaras, a desinfecção, o distanciamento, novos horários e o atendimento por marcação se tornaram tendências de uma nova realidade.

A importância do online para os negócios de porta fechada

No período de confinamento, a maioria dos consumidores passou a realizar mais compras online, de produtos ou serviços, e a receber encomendas em casa, procurando entrega rápida e segura.

Os gestores de cada negócio rapidamente responderam a esta solicitação com o aumento da sua presença online. Criaram sites ou lojas online, assim como reforçaram a presença em marketplaces nacionais ou internacionais, comunicando mais via redes sociais, como Facebook, Instagram, Messenger ou Whatsapp, ou recorrendo aos serviços de entrega como Uber Eats ou Glovo, entre outras. Ainda, através do Zoom, Teams, Skype, e outras plataformas de vídeochamadas semelhantes, realizaram-se cursos, aulas, ou prestaram-se serviços de consultoria. Mesmo que o retorno financeiro não fosse significativo, tornava-se importante manter os clientes fiéis à sua marca ou empresa durante o confinamento colectivo.

O desconfinamento e a reabertura da economia

Com a última fase de desconfinamento progressivo, em Junho, a grande maioria dos sectores da economia reabriram, seguindo, obviamente, as indicações gerais e específicas de higiene, segurança e protecção individual e colectiva, aconselhadas pela Direção-geral da Saúde (DGS). Vários documentos foram preparados para ajudar neste regresso e que podem ser consultados na página oficial da DGS. Reunimos também, no nosso blogue, várias recomendações importantes para o regresso ao trabalho da forma mais segura possível.

Adaptar o negócio às novas exigências de protecção e desinfecção tem também um impacto financeiro nas empresas, que poderá ser minimizado recorrendo a linhas de crédito para apoio a microempresas e PMEs disponibilizadas pelo Governo.

Apesar de tudo, se para alguns negócios a pandemia da COVID-19 trouxe novas oportunidades imediatas de aumento de vendas, para outros, continuar a actividade através de novos modelos – digitais ou de entrega ao domicílio, ou passar a estar aberto ao público, significou:
-ter menos clientes,
-menos facturação e
-uma rotina de sobrevivência quotidiana.

É, por isso, importante adaptar ou optimizar o negócio para esta nova realidade, ainda incerta e de crise financeira, para seguir em frente.

Como adaptar o seu negócio à nova era pós-COVID?

Se ainda não adaptou o seu negócio para a nova era pós-COVID19, ainda vai a tempo de seguir estas nossas 7 sugestões:

Torne a sua estrutura organizacional mais ágil

Adoptar uma organização horizontal, atribuindo mais responsabilidades aos colaboradores pode ser uma das soluções para uma estrutura mais ágil e pronta a responder. Conseguirá medir facilmente a produtividade – sem exercer microgestão sobre os seus funcionários – implementando uma filosofia que não exige grandes mudanças, mas que optimiza os processos de trabalho: como o método Kanban. Através de um quadro visual físico, ou online, com cartões ou post-its é possível acompanhar os processos de trabalho, evitando atrasos ou retirando alguma areia da engrenagem no fluxo de produção. Os post-its serão distribuídos por colunas que indicam o que é necessário fazer, qual o progresso da tarefa e quando deve estar concluída. Ao mesmo tempo, é uma forma de comunicação clara a toda a equipa daquilo que se passa na organização, tornando-a mais apta a intervir diariamente.

Implemente ou continue o espírito de teletrabalho

Se já teve o exigente esforço de organizar o teletrabalho durante o período da pandemia, não desista dele, mesmo que esteja já de portas abertas ao público ou com as equipas no escritório. Experimente manter em teletrabalho alguns dos seus colaboradores, de forma rotativa, autónoma, fazendo com que contactem entre si o menos possível, garantindo a segurança de todos. Realize reuniões à distância, usando plataformas como o Zoom, Teams ou Skype. Assim poderá continuar a testar e melhorar formas eficazes de trabalhar nas duas modalidades: presencial e online. Ao adaptar-se, a sua organização estará permanentemente preparada para o que der e vier.

Aumente o valor de transacção média por cliente

Em alturas de crise é sempre mais complicada a aquisição de novos clientes, então adapte o seu negócio e concentre as suas energias nos seus actuais clientes. Procure conhecê-los melhor nesta nova fase, as suas necessidades, o seus objectivos de médio/longo prazo e proponha-lhes produtos premium, serviços adicionais, campanhas exclusivas, códigos promocionais, etc. Para além de querermos que ele compre mais, queremos também que esteja mais presente, que regresse mais vezes, pois aumentará a probabilidade de realizar uma nova compra. O objectivo é aumentar o valor de transacção média de cada cliente que, no final, resultará no crescimento do seu próprio negócio.


Descubra as suas fontes de dinheiro para sobreviver mesmo sem receitas

Existem imensas estratégias para conseguir que a entrada de dinheiro em caixa seja mais rápida e a saída seja mais lenta, contribuindo para um cashflow positivo. Garantir dinheiro em caixa a partir das vendas, mas também gerir melhor o fluxo das despesas é o objectivo. Vender algum imóvel pode ser também uma fonte de dinheiro, mas tenha atenção, já que o mercado imobiliário pode eventualmente sofrer alguma quebra. Em alternativa, recorra à banca a custos baixos, mas especialmente para efeitos de investimento. Analise cuidadosamente cada uma das suas fontes.

Diversifique os canais e potencie as vendas

Mesmo com a reabertura de lojas ou reativação das empresas, para se adaptar ao “novo normal” aconselhamo-lo a diversificar os canais digitais em ligação com os pontos físicos de venda. A ideia não é nova: compre online, receba em casa ou levante na loja. Esta forma de actuar irá proporcionar uma melhor experiência ao cliente. Unifique os stocks físicos e online para melhor gestão e entregas mais rápidas. Negoceie com os seus actuais parceiros de logística ou inicie novas relações comerciais que lhe permitam adaptar o negócio para funcionar nestas duas frentes.

Recorra ao software online de facturação de utilização intuitiva e sem contratos de fidelização

No escritório ou em teletrabalho, use o nosso programa de facturação online e tornará tudo mais simples e intuitivo, incluindo a automação para emissão de facturas/recibos, assim como a comunicação online com as Finanças. O programa é certificado pela Autoridade Tributária e temos disponíveis vários plugins para integração com a sua loja online. Tudo feito à distância, online, e cumprindo todas as exigências legais.

Use e abuse de todas as ferramentas digitais

Use e abuse das ferramentas digitais disponíveis no mercado, procurando aquelas que se adaptem melhor às suas equipas e ao seu negócio. Caso ainda não tenha, e seja pertinente para o seu negócio, comece por desenvolver a sua loja online - para o efeito consulte o nosso ebook gratuito com os 5 passos para criar uma loja online. Conseguir uma presença online forte do seu negócio ou marca pode demorar até, no mínimo, 6 meses, dependendo do investimento. Mantenha-se presente junto do seu actual ou potencial cliente, através das redes sociais, email marketing, comunicações personalizadas.

A actual missão é manter os negócios activos, minimizar as perdas e reinventar novas formas de actuar. O futuro tornou-se mais incerto, mas é importante estar preparado para outras transformações rápidas e profundas que possam acontecer no mercado. Siga os nossos conselhos e adapte o seu negócio com sucesso para enfrentar a crise que se avizinha.

Várias empresas já se adaptaram também e ajudar outros negócios, através de diversas iniciativas para vencer a crise em conjunto. Há, por vezes, oportunidades que podem parecer insignificantes, mas revelam-se importantes para a sobrevivência pós-COVID.

Da nossa parte, estaremos sempre presentes para ajudar os nossos clientes garantindo o bom funcionamento do InvoiceXpress. Com a utilização da nossa API, e dos plugins que temos disponíveis, os empresários e empreendedores poderão integrar de forma práctica a sua facturação com as lojas online, e rentabilizar a sua produtividade para adaptar o negócio a estes novos tempos.


Miguel Coelho

Com formação em Comunicação, o Miguel deixou-se seduzir pelo Digital. Bem-disposto por natureza, livros, séries e desporto são dos seus passatempos favoritos.

blog comments powered by Disqus




Fale connosco!

Somos uma equipa dedicada a responder a todas as suas questões de forma rápida e eficaz.

Acreditamos que o suporte é a nossa melhor funcionalidade.

Ponha-nos à prova!
Livro de Reclamação